sexta-feira, 7 de junho de 2013

Criptografia e Paranormalidade

A criptografia digital é uma realidade que temos na internet na transmissão dos dados para que outros inescrupulosos não interceptem e usem a informação sem o nosso consentimento. A origem da criptologia vem de antigamente quando reis precisavam criptografar suas mensagens que seriam enviados por mensageiros a cavalo para outros reinos. Com o tempo ela foi evoluindo e durante a segunda guerra mundial ela foi decisiva para que a aliança vencesse os nazistas de Hitler.

A primeira vez que ouvi falar na Enigma foi através do excelente filme “U-571 – A Batalha no Atlântico” que eu conheci sobre ela, onde o objetivo de um submarino era capturar e decodificar as informações desta máquina. Na vida real, a Enigma foi uma máquina criptográfica tinha códigos tão complexos que era praticamente impossível de ser descoberto, fazendo com que a guerra terminasse um ano antes do previsto. A cada ano que passa, a criptografia se torna cada vez mais complexa já que o crescimento de bandidos e pessoas loucas para desvendar seus segredos cresce exponencialmente.

Descobri uma coisa interessante hoje. Durante a segunda guerra mundial como na guerra fria, os norte-americanos, os soviéticos e os alemães investiram fortemente no treinamento de pessoas paranormais para desenvolver a capacidade da telepatia. Se um grupo de pessoas se tornarem telepatas plenos, a comunicação poderá ser feita a grandes distâncias sem nenhuma possibilidade de interceptação. Seria a criptografia perfeita. Já assisti a vários filmes onde agências do governo investem na paranormalidade e sempre fiquei fascinado com o progresso que eles devem ter tido, por exemplo, no excelente “Os homens que conversavam com cabras”. E o curioso é que foi verdade.

Será que atingiram níveis de telepatia grandes? Até que ponto eles poderiam influenciar nas pessoas? Qual são as suas capacidades mentais? Talvez nunca saibamos. Mas acredito que o projeto não deva ter tido grande sucesso por sua descontinuação. Até acredito na capacidade telepata das pessoas, mas não num grau tão grande onde podemos enviar informações militares a continentes de distância.

E se eles tiveram sucesso, mas na telepatia não é possível a ocultação de dados? Digo como leigo total no assunto. Imagine que a transmissão de dados através da mente seja possível. Se outro telepata estiver presente na mesma sala, será que ele não consegue interceptar a mensagem? O objetivo da transferência da informação é que ela seja inacessível a qualquer pessoa e seja vista apenas pelo emissor e pelo receptor. Entretanto uma vez que esteja no ar, acredito que outro telepata possa também ouvir o que o outro está mandando. Seria a mesma coisa que acontece com sinais de rádio, televisão e comunicação via telefone e celular. Todos esses até tem um ponto de destino específico, mas se alguém com capacidade consegue interceptar esta informação sem que os envolvidos na comunicação fique sabendo. Só este fato já elimina totalmente a possibilidade de se usar paranormais para realizar este serviço. Eles, contudo podem ser usados em diversas outras formas como descobrir se bandidos estão mentindo, mas transferência de dados não.

Um comentário:

  1. A gente não tem noção do que a nossa mente é capaz.
    Big beijos

    ResponderExcluir